top of page

Como usar Aristóteles no posicionamento em personal branding

Aristóteles foi um filósofo grego, nascido em 384 a.C, discípulo de Platão. O mesmo possui uma grande importância em seus ensinamentos deixados e se mantém muito atual ainda nos dias de hoje. Compartilhou muitos escritos sobre diversos temas, como física, leis da poesia, leis do drama, música, lógica, governo, ética, biologia e a então Retórica, a qual falaremos hoje.


“A retórica de Aristóteles não é o produto de mera idealização de princípios nascidos com ele e por eles convencionados para persuadir e convencer outras pessoas. É, sim, o produto da experiência consumada de hábeis oradores, a elaboração resultante da análise de suas estratégias, a codificação de preceitos nascidos da experiência com o objetivo de ajudar outros a exercitarem corretamente as técnicas de persuasão.” A retórica defende três frentes: ETHOS, PATHOS e LOGOS.

Ethos é de onde derivou a palavra ÉTICA. É o ato de falar de si mesmo, passar sua credibilidade a partir do que você está comunicando verbalmente. Para passarmos credibilidade precisamos ter notoriedade e reputação e é a partir desse discurso de ETHOS onde temos a possibilidade de mostrar todo o nosso potencial. Basicamente é a nossa apresentação, quem somos, o que fizemos, quais cargos ocupamos e o que conquistamos.



Já Pathos é de onde derivou-se a palavra PAIXÃO. O discurso baseado em Pathos é aquele discurso emotivo, com carga emocional, carregado de provocações: tirar risada do seu público, compaixão, empatia, inflar e até extrapolar as emoções de quem está te ouvindo. Nós, seres humanos, somos pessoas naturalmente movidas pelo emocional, e aí a importância de trabalhar isso em nossos discursos. “Diversos estudos em Neurociência mostram que as emoções desempenham um papel fundamental na tomada de decisão, sendo responsáveis por coordenar o nosso comportamento a maior parte do tempo.”

Essas emoções podem ser retratadas de diversas formas, contando histórias e experiências é uma delas. Ou seja, trabalhando o Storytelling, essa que é “uma palavra em inglês, que está relacionada com uma narrativa e significa a capacidade de contar histórias relevantes. Em inglês a expressão "tell a story" significa "contar uma história" e storyteller é um contador de histórias.”



E Logos vem a se tornar a derivação da palavra LÓGICA. Ou seja, a base do discurso onde apresentamos números, dados e estatísticas, para assim então, termos uma base completa e eficiente para um discurso bem-sucedido.

Mas qual a relação da Retórica de Aristóteles com o Branding? Total. Podemos inclusive dizer que a primeira estratégia de marketing criada veio da teoria de Aristóteles. A Retórica é um princípio de como ter persuasão com seu público e quando falamos em termos atuais de criar autoridade, de criar um posicionamento autêntico, de trabalhar o Storytelling, estamos justamente falando da base teórica de Aristóteles. Fazer com que o cliente dentro do Personal Branding entenda a importância de trabalhar essas três frentes, não só em discursos ou reuniões, mas também em outros canais, como no posicionamento digital ou no convívio do dia-a-dia fora do âmbito empresarial é importante e relevante para a estratégia traçada de criação de autoridade, posicionamento e geração de resultados.



É importante frisar que nem sempre as três frentes terão lógicas de serem utilizadas, a depender da situação, mas ter elas como base e aproveitar a sua teoria com certeza trará uma comunicação mais assertiva e intencional.

Comments


DSC_5065.png

Oi,
sou a Jéssica

Publicitária, estrategista em personal branding, social media e mentora. Uma eterna estudante, pois quem ensina nunca para de aprender. Usando os arquétipos de marca desde 2022 para tornar marcas pessoais em cases de sucesso.

Arquivo de posts

Tags

bottom of page